ArtigosBlog

Segurança nas Redes Sociais: Google Buzz e outras redes

Dias atrás conversamos sobre Orkut, Twitter e Facebook, que são os mais usados no Brasil. Hoje pretendo falar das redes sociais remanescentes e que são usadas por uns e outros. No próximo e último artigo da série pretendo escrever sobre informações sigilosas reveladas nas redes sociais e seus efeitos, penais e civis.

Como sempre, antes de tratar do assunto vejo a necessidade de referir uma publicação dos últimos dias que trata da subtração de dados pessoais que constam das redes de relacionamento social. Um site chamado PleaseRobMe (“Por Favor, Roube-Me”, em tradução livre) diz que revela o local onde há casas vazias com base em informações que as pessoas colocam na internet. Como funciona o programa? Basicamente, há o cruzamento de informações do jogo online Foursquare e da localização informada pelas pessoas no Twitter. Veja mais sobre o programa neste link (http://zapt.in/4A7). Portanto, limitar as informações, ou melhor, cuidar dos dados que se colocamos na web é fundamental.

Voltando ao tópico de hoje, é importante mencionar as outras redes sociais e algumas indicações a respeito (principalmente o link para livrar-se delas).

Sonico: rede social com origem argentina, porém os maiores acessos são originários, respectivamente, do México, Brasil, Colômbia e, em quarto lugar, a Argentina. Leia mais sobre o Sonico aqui (http://zapt.in/4FX). Se você se registrou e não gostou, acesse este link (http://www.sonico.com/cancel.php) e delete sua conta.

Myspace: rede social que não tem muitos adeptos no Brasil e seria a maior rede social em utilização nos EUA, informação que não é atual, pois Facebook e Twitter já a ultrapassaram em usuários. Para deletar sua conta do Myspace acesse http://profileedit.myspace.com/index.cfm?fuseaction=accountSettings.cancelAccount.

LinkedIn: rede de publicação de currículos on line, com maior acesso nos EUA, Índia e Inglaterra. Se por acaso você publicou seu currículo e já não precisa mais de publicidade, acesse https://www.linkedin.com/secure/settings?closemyaccountstart=&goback=.aas e delete seu perfil.

Flickr: site de armazenamento de imagens e vídeos, bastante usado no mundo, pois foi um dos pioneiros e é administrado pelo Yahoo! O Flickr permite também a integração segura com o Twitter. Se você acha que publicou fotos e expôs sua privacidade, acesse http://www.flickr.com/profile_delete.gne e delete seu perfil.

Hi5: rede social com  interação semelhante aos demais e com vários jogos, sendo que os maiores acessos são do México, Tailândia e Portugal. Cadastrou e não quer mais, o cancelamento pode ser feito acessando http://www.hi5.com/friend/account/displayRemoveAcct.do, tendo que digitar, novamente, o e-mail e senha.

Ning: site que permite você criar e administrar sua própria rede, como a dos Crimes Cibernéticos, voltada aos debates sobre os crimes virtuais e seu combate. Além de criar sua rede você pode participar, com o mesmo login e senha, de várias outras redes no mesmo ambiente. O bom do Ning é a privacidade que pode ser estipulada nos assuntos, fóruns e grupos internos da rede. Além disso, se você pagar um valor mensal baixo pode direcionar seu domínio à rede criada, com sala de bate papo exclusiva entre os afiliados.

Multiply: é comparada em organização ao Myspace. Assim como o Netlog é forte na Europa e o Orkut no Paraguay e Brasil, o Multiply ganha a Indonésia, Filipinas e Malásia.

Haboo: é um hotel virtual onde você pode passar o tempo e fazer novos amigos. Ele é feito para adolescentes, mas pessoas mais velhas também seriam aceitas.

Netlog: rede social com bastante utilização na Europa, similar aos demais, mas com a possibilidade de gerir um blog.

QuePasa: um ponto legal desta rede criada na Argentina é que o site é uma rede latina e cobre os países vizinhos, podendo ser um bom ponto de encontro para usuários que se podem passar como irmãos no globo. É um caminho para o intercâmbio latino, pois dentre os 10 primeiros países que acessa-na 9 usam a língua espanhola para se comunicar.

Github Social Coding: seria um espaço público para compartilhar códigos, scripts, downloads ou qualquer recurso e documentação de desenvolvimento.

Google Buzz: recentemente foi lançado o Buzz, integrado com a  conta do Gmail. Logo surgiu a crítica quanto à privacidade, pois todas contas foram vinculadas e tornaram-se visíveis aos demais usuários, o que foi considerado uma vulnerabilidade crítica. Certo é que o Buzz da Google está tentando imitar o Twitter, Facebook e outros. O Rodrigo Ghedin fez um tutorial a respeito de como esconder ou desativar o Google Buzz, além de criar filtros. Vale a pena olhar no http://www.meiobit.com/meio-bit/google/esconda-ou-desative-o-google-buzz.

Redes sociais brasileiras:

Via6 (http://www.via6.com/), organizada pelo Terra e com possibilidade de troca de conteúdos (vídeos, textos, imagens etc.).

Populy (http://www.populy.com.br/): pretende ser uma rede de relacionamentos que integra diversas ferramentas disponíveis na Web como blogs, vídeos, bate-papo, recados, perfis personalizados entre outras. O serviço oferece um filtro que determina os visitantes do seu perfil, o “filtro anti-curiosos”, com permissões definidas pelo seu dono. Também tem salas de bate papo.

Cultura Ditigal (http://culturadigital.br/): segundo o próprio site, é um espaço público e aberto voltado para a formulação e a construção democrática de uma política pública de cultura digital, integrando cidadãos e insituições governamentais, estatais, da sociedade civil e do mercado. É onde se discute sobre o Marco Civil na Internet brasileira.

E teria muito mais para citar, pois tem rede social para todos os gostos, adaptações, formatos, motivos, finalidades e objetivos.

Estas são as 10 redes sociais mais usadas no país, segundo uma divulgação de maio de 2009, com a audiência que atingem entre os 25,5 milhões de internautas RESIDENCIAIS.

1 – Orkut: 71,2%
2 – Sonico: 6,8%
3 – MySpace: 4,4%
4 – Via6: 4,4%
5 – Facebook: 3,6%
6 – Multiply: 3,1%
7 – Twitter: 2,7% (crescendo)
8 – Hi5: 2,6%
9 – Habbo: 2,5%
10 – Ning: 2,1%

A última dica que fica, caso alguém tenha pensado no suicídio virtual e não queira acessar os sites referenciados, pode usar duas ferramentas virtuais muito boas:

a) Suicide Machine: No site Suicide Machine, é possível desligar-se de vários serviços online com apenas alguns clicks. Veja um vídeo tutorial no Olhar Digital (http://zapt.in/4Ge);

b) Delete Your Account: site que te dá instruções para poder eliminar suas contas na maioria das redes sociais e serviços web 2.0, comunidades online e muitos outros. A lista de serviços é extensa, alguns são: Digg, eBay, Facebook, Flickr, FriendFeed, Last.fm, Google, MySpace, WordPress, YouTube, Amazon e outro mais estão sendo agregados. O serviço te mostra, em ordem alfabética, as opções. Clique na letra do serviço que você quer eliminar e veja as instruções.

Por hoje é só. Até a próxima!

Compartilhe
André Damasceno

Sobre André Damasceno

© O MELHOR DO MARKETING. 2016

Entre para o nosso mundo!

Entre para o nosso mundo!

Receba conteúdos exclusivos e fantásticos.

Parabéns, você se inscreveu com sucesso.